Translate

sexta-feira, 1 de maio de 2020

DILEMA do CORONA


Amigos da vagabundagem convicta
meu cordial...boa noite



Na falta do que fazer nessa pandemia resolvi...filosofar....e deu nisso: 


Dilema do Corona

Eu vivia...ate certo ponto, bem!
Não me lembro, nos últimos 65 anos de ter me sentido depressivo. Não que não tivesse ocorrido momentos desagradáveis na minha vida, muito pelo contrário, sofri dois acidentes automobilísticos graves a ponto de ter sido desenganado pelos médicos nos dois, mas acabei sobrevivendo com poucos danos físicos e restrições motoras imperceptíveis. Os danos estéticos não foram tão grandes a ponto de causarem problemas de relacionamentos sociais, ou amorosos. Já no campo profissional, as decepções que ocorreram foram compensadas pelas realizações bem sucedidas e reconhecidas pelos meus pares, portanto sem efeitos depressivos.
Dessa forma cheguei a 2019 me sentindo realizado e satisfeito com a minha existência e tranquilo para encarar a fase, oficialmente batizada de “idoso,” na terceira idade e com alguns privilégios concedidos pelas autoridades e sociedade politicamente corretos que dominam todas as sociedades civilizadas atuais. Confesso que me sentia desconfortável com essa situação de “privilegiado oficial” !...mas não contestei para não ser taxado de contestador revoltado.
Em 2019 quando me preparava para desbravar o mundo a bordo de um possante conversível (sonho de infância preste a ser realizado), a vida resolveu fazer surpresas, inicialmente pra mim ...e com o passar do tempo em 2020, pra toda a humanidade.

As surpresas iniciaram em meados de 2019 quando descobri que estava sendo engado por uma pessoa querida e muito próxima desde 2007. Meio sem saber a motivação dessa primeira surpresa, adotei uma postura conciliativa para benefício do relacionamento familiar.
 Quando imaginei que estava me refazendo dessa surpresa...sofri uma nova surpresa familiar, não que a morte da minha mãe , aos 91 anos fosse a surpresa, mas a burocracia que se seguiu por conta do inventario foi uma sequencia de surpresas desagradáveis, seja pelo viés familiar, seja pelo viés burocrático legal ...ou seja pela atitude gananciosa de ambos . E foi assim que 2020 debutou.
 A temporada de surpresas 2020 se iniciou em grande estilo quando o mundo foi apresentado a pandemia do Corona Vírus.
Hoje , em plena vigência da surpresa pandêmica, entre um panelaço e outro, em meio a discussões e entrevistas de inúmeras e internacionais autoridades politicas senti os primeiros sintomas....não do famoso vírus coroado...mas de uma depressão .
As consequências da pandemia me obrigaram a me manter trancado dentro de casa, porque eu , oficialmente privilegiado idoso, fui reclassificado como “cidadão em grupo de risco “!Dentro dessa nova classificação passei a ser uma ameaça para sociedade uma vez que eu , nas minhas condições poderia causar (e está causando) a falência do sistema de saúde prejudicando além dos pacientes mais jovens (portanto ainda produtivos) assim como os profissionais de saúde expostos aos idosos contaminados ( os essenciais)
Quando constatei essa minha nova função na sociedade; idoso, improdutivo, de grupo de risco, não essencial (portanto descartável ou supérfluo) ...me senti como a causa de todos os problemas da humanidade...e entrei em depressão profunda!
Como sou ateu, portando sem crenças religiosas, que encara a morte apenas como uma das fases da vida, e cidadão consciente, além de , agora, depressivo....resolvi, num ato heroico:...me suicidar ! 
Tendo, conscientemente, tomado essa radical decisão, parti para a execução. Me preparei planejando a forma de não causar maiores danos à sociedade já tão carregada de problemas. Assim descartei os métodos doloridos, nojentos, demorados e com alta probabilidade de insucesso. Enquanto fazia um Estudo Estado Maior , conhecido como PPM(Processo de Planejamento Militar) para encontrar a melhor forma de resolver o problema, acabei concluindo que durante o teste AEA ( adequabilidade, exequibilidade, aceitabilidade)....nenhuma das LA (Linhas de Ação) , passou no teste de Adequabilidade, porque não resolveria o problema !!!
Não resolveria o problema da sociedade porque estando morto o defunto seria um novo problema para o já saturado sistema funerário.
Diante desse novo dilema...me senti confuso...e resolvi tomar uma cerveja ...acendi um cigarro na janela.... e ouvi um rapaz  gritando da varanda do seu apartamento no prédio em frente: “FORA ... ASSASSINO....TRAIDOR...”.
Foi aí .... que senti que a depressão havia desaparecido.... e cheguei à conclusão que não era eu ...o responsável por essa situação que chegou à humanidade politicamente correta.
Voltei para o escritório... escrevi...assinei o Netflix....e vou ver um filme...depois vou dormir...porque amanhã é um novo dia.... e eu não me surpreendo mais ....estou preparado pra tudo....até pra nada.



quinta-feira, 19 de setembro de 2019

As teorias...dos VELHOS


Para meus amigos que já estão nos anos 60, há quatro coisas antigas que são boas:

• Os velhos amigos para conversar.
• A velha lenha para aquecer.
• Os velhos vinhos para beber.
• Os livros antigos para ler

Émile A. Faguet
O segredo de uma boa velhice não é outra coisa senão um pacto honrado com a solidão
Gabriel Garcia Marques
Envelhecer é como escalar uma grande montanha: ao escalar, as forças diminuem, mas o olhar é mais livre, a visão mais ampla e mais serena.
Ingmar Bergman
Os primeiros quarenta anos de vida nos dão o texto; os próximos trinta, o comentário.
Arthur Schopenhauer
Os velhos desconfiam dos jovens porque são jovens.
William Shakespeare
Quando eles me dizem que estou velho demais para fazer alguma coisa, tento fazer isso rápido.
Pablo Picasso
A arte do envelhecimento é a arte de preservar alguma esperança.
André Maurois
A velhice é um tirano que proíbe, sob pena de morte, todos os prazeres da juventude.
François de La Rochefoucauld
As rugas do espírito nos fazem mais velhos que as do rosto.
Michel Eugene de le Montaigne
O envelhecimento ainda é o único meio que foi encontrado para viver muito tempo.
Charles Augustin Sainte-Beuve
Ninguém é tão velho que não possa viver mais um ano, nem tão jovem que hoje não possa morrer.

Fernando de Rojas
Todos nós queremos envelhecer e todos nós negamos que tenhamos chegado.
Francisco de Quevedo
Se você quer ser velho por um longo tempo, envelheça logo. 
Cícero
Nada envelhece tanto quanto a morte daqueles que conhecemos durante a infância.
Julián Green
O jovem conhece as regras, mas o velho conhece as exceções.
* Oliver Wendell Holmes
A velhice começa quando a memória é mais forte que a esperança.
Provérbio Hindu
Na juventude aprendemos, na velhice nós entendemos.
Marie von Ebner Eschenbach
A maturidade do homem é ter recuperado a serenidade com a qual brincamos quando éramos crianças.
Frederich Nietzsche
O velho não pode fazer o que um jovem faz; mas faz melhor.
Cícero
Demora dois anos para aprender a falar e sessenta para aprender a calar a boca.
Ernest Hemingway
As árvores mais antigas dão os frutos mais doces.
Provérbio alemão
Aqueles que realmente amam a vida são aqueles que estão envelhecendo.
Sófocles
Quando você é velho na carne, seja jovem na alma.
Autor desconhecido
A velhice tira o que herdamos e nos dá o que merecemos.
Gerald Brenan
Um homem não é velho até que comece a reclamar em vez de sonhar.
John Barrymore
Um homem não envelhece quando sua pele enruga, mas quando seus sonhos e esperanças se encolhem,

 Grafite de rua
Velho é aquele que considera que sua tarefa está cumprida. Aquele que se levanta sem metas e se deita sem esperança.

Vagabundo Convicto
Velho é aquele que sente saudade dos Beatles...e tem que ouvir "batidão"....compra uma SUV lembrando da KOMBI....olha pra uma "tchuchuquinha",querendo ver a Bruna Lombardi.....e pior...é obrigado a fazer uma procuração acreditando que não vai ser traído....

Acho que estou ....VELHO 

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Teoria do PQP



Amigos da Vagabundagem Convicta o meu cordial ...OLÁ

Hoje acordei disposto e bem dormido, o que me incentivou a dedicar esta manhã à minha atividade física predileta: caminhada praiana meditativa sob exposição solar intensa.

Tendo cumprida a minha atividade física profilática para a idade, de volta ao escritório, resolvi colocar em letras uma filosofia que me assalta (no bom sentido) há algum tempo: A Teoria do PQP.
Antes que algum afoito interprete a sigla PQP erroneamente, me permito algumas considerações sobre as SIGLAS, em geral.

Imagem relacionadaHoje, nos tempos modernos, somos atacados por siglas o tempo todo. Eu particularmente convivi com algumas que me influenciam até hoje:  CN, EN, FAB,MB,EGN,
,AvN,IPTU,IPVA,IRPF,MY,CNH,ANAC,PLA,HA-1...e por ai vai.    Assim sendo o PQP (que já existe porem com outro significado mais conhecido) deve ser interpretado como a sigla de: P (preciso) Q (quero) P (posso).

O que me levou a meditar e chegar a teoria do PQP foi o comportamento social vigente movido pelo consumismo coletivo que alavanca o Capitalismo como ferramenta política e social em contrapartida ao paternalismo estatal usado como ferramenta política e social do Socialismo. Não pretendo aqui entrar em discussão política, sendo esta última frase, uma mera constatação. Assim sendo, me aterei ao CONSUMISMO para respaldar a minha teoria do PQP.

Resultado de imagem para invenção da rodaO consumismo, acredito, nasceu na Idade da Pedra por necessidade. Aquele nosso ancestral cavernoso precisava se proteger das intemperes naturais assim como se defender das ameaças animais, sociais e geológicas, bem como adquirir bens que o destacasse na comunidade, promovendo-o socialmente. A tecnologia acelerou esse processo. A invenção da RODA, talvez tenha sido a mais complexa tecnologia na época e certamente a que mais impulsionou (em todos os sentidos) o consumismo.

Para implementar o consumismo, algumas características humanas foram incentivadas por meio de uma nova tecnologia (o marketing), que potencializou a “ganância”, a “ostentação “e a “vaidade” como valores cruciais de realização profissional e consequente ascensão social.
Portanto, a RODA e o MARKETING, na minha humilde opinião, são as molas mestras do CONSUMISMO.
Resultado de imagem para consumismoConsiderando essa constatação, e visando manter o CONSUMISMO em níveis benéficos para a sociedade, até porque, o seu excesso traz consequências catastróficas (sociais, econômicas e ecológicas) para a humanidade, criei a teoria do PQP, que foi plagiada do teste de AEA (Adequabilidade, Exequibilidade e Aceitabilidade) do Processo de Planejamento Militar (o MBA dos milicos)


TEORIA DO PQP

P de “Preciso”

Essa é a primeira pergunta que deve ser feita. Se vc não precisa ...por que haveria de consumir? Tudo bem, concordo que consumimos muitas coisas que não precisamos e nesse ponto poderemos discutir indefinidamente a questão que varia de individuo, no entanto, a consciência individual deve prevalecer, porque dela (a consciência), ninguém foge.

Q de “Quero”

Imagem relacionada
Aí é que o bicho pega ! querer a gente quer um monte de coisa (até mesmo aquelas que não precisamos) . É no “Q” que a discussão pega fogo e onde os consumidores de carteirinha tentam ludibriar o “P” do preciso. Chovem argumentações deslavadas tentando justificar o “Q” com uma dose de “P” completamente descabida (principalmente na parcela da humanidade com viés feminino). Não existe regra básica para uma tomada de decisão pautada no ”Q” sendo recomendável uma análise honesta e consciente que corre risco altíssimo de deturpação considerando a força maligna do “Marketing”.

P de “Posso”

Aqui a discussão perde força uma vez que o “Posso” passa, forçosamente, por uma análise financeira. Ou se tem, ou se não tem, recurso financeiro que faça frente ao consumo pretendido. Falamos aqui de pessoas conscientes e não dos “destrambelhados financeiramente inconscientes”. Para esses não há teoria que resista nem regra que se aplique estando fadados a inadimplência e a vida atribulada atolada em créditos extorsivos e infinitos...
Dito isso, defendemos a teoria do PQP na base dos 20 pontos. Se atribuirmos uma pontuação aos fatores do PQP separadamente, onde o primeiro “P” (preciso) atribuímos uma pontuação radical , ou seja : 0 (zero) para o NÃO PRECISO e 10 (dez) para o PRECISO.(sem pontuação intermediaria)
Já para o “Q”(quero) devemos flexibilizar, gradualmente, de 0 (zero) NÃO QUERO , variando até o outro extremo , o 10(dez) QUERO MUITO.

Resultado de imagem para consumismo


Da mesma forma o “P” (posso) é flexível, 0 (zero) NÃO POSSO variando até 10 (POSSO MUITO) dependendo, é claro, das possibilidades financeiras de cada um.
Assim, a base mínima de 20 pontos para aprovação do consumo só contemplará o consumo para um “preciso” = 0 com uma compensação de “quero muito” (10) + “posso muito” (10), ....índice PQP=20, Reconheço que para esse caso extremo não há teoria que funcione.....portanto BOM CONSUMO! E depois sofra as consequências.....

Bem queridos(as) seguidores(as), a teoria está aí para ser aplicada (ou não)... mas uma coisa ninguém pode negar ... que o Marketing é poderoso ...ah isso é...se impulsionado pela RODA então ....aí ninguém segura...!!!
CQD !!

Um grande e forte abraço a todos (e principalmente) a todas...consumidores(as).



ASS:  O Vagabundo Convicto

quarta-feira, 1 de maio de 2019

A TEORIA DA SAMAMBAIA


VC* e A TEORIA DA SAMAMBAIA

Caros amigos da vagabundagem convicta...meu respeitoso...Olá 



Hoje, após uma passada no escritório (a beira mar) e constatar (como sempre), que não havia nada urgente, resolvi me dedicar a atividade física intensa de caminhada no ambiente profissional. Durante essa atividade fui assaltado (no bom sentido) pelo pensamento sobre o desprezo que a sociedade, em geral, dispensa ao ser vivo, conhecido por: SAMAMBAIA. Assim sendo resolvi fazer algo para revalorizar este ente esquecido pela humanidade.



DEFINIÇÃO DE SAMAMBAIA:

“As samambaias, ou fetos, são vegetais vasculares membros do táxon das pteridófitas (que deixou de ter validade taxonômica e só é utilizado como uma denominação informal). Elas possuem tecidos vasculares (xilema e floema), folhas verdadeiras, se reproduzem através de esporos e não produzem sementes ou flores.”

A importância da samambaia advém justamente da sua insignificância no contexto mais amplo da sociedade. No ambiente vegetal, ela não se destaca porque não produz nenhum fruto, mesmo que insosso, tornando-se, portanto, inútil como alimento. Não acredito que seu consumo in natura traga algum benefício a saúde (muito pelo contrário). Poderíamos valorizá-la pelo aspecto decorativo, mas mesmo nesse ambiente, ela não se destaca por não produzir flores, portanto, inodora. Desta forma, monocromática, não atrai a atenção de decoradores de interiores (ou exteriores) tornando-se apenas um volume vegetal para compor ambientes onde a imaginação artística não foi capaz de preencher. Não produz sementes, se reproduzindo através de esporos. As pessoas não imaginam a dificuldade que é se reproduzir através de “esporos”. Isso torna a espécie em vias de extinção já que a técnica de reprodução por esporos não é plenamente disseminada nas escolas e não há nenhuma lei que as proteja, do tipo : cotas para samambaias nos ambientes privilegiados. Nem os veganos dão a samambaia, a importância que qualquer planta merece.
Foi pensando em tudo isso que como Vagabundo Convicto *(doravante tratado como VC) resolvi desenvolver uma teoria viável, visando valorizar a aplicação prática da SAMAMBAIA. Para tal, foquei na única qualidade identificável da samambaia: a insignificância!

Teoria da SAMAMBAIA
Baseado em experiências vividas no tempo em que era um profissional ativo, observei que a característica peculiar da SAMAMBAIA (a insignificância) poderia ser empregada profissionalmente em determinadas situações com vantagens significativas. Senão vejamos:
Imagine que você é um(a) profissional contratado como colaborador (sinônimo politicamente correto de: funcionário), para prestar um serviço de altíssima confiança às pessoas muito poderosas financeiramente tipo, bilionárias. Considere que esse serviço, eventualmente, deve ser prestado em ambiente por vezes restritos, muito próximo do seu empregador e sua família, sem uma rota de fuga razoável sem causar constrangimento a todos em caso de desavenças normais em qualquer família. Neste momento você sente uma vontade incontrolável de se tornar invisível, mas isso ainda é humanamente impossível. É nesse momento que a SAMAMBAIA mostra o seu valor.
Para que a teoria se torne efetiva, devemos tomar algumas providencias anteriores para criar condições de aplicação da teoria tais como:

1-      Habitue-se a se vestir discretamente (preferencialmente de formal usual para o ambiente e cores em tom pastel)
2-      Evite chamar atenção pelas suas atitudes (sejam elas boas ou más). Se for boa a ponto de ser elogiada, responda apenas com um discreto: obrigado. Se for má, a ponto de receber uma repreensão, aceite-a sem ponderações.
3-      Procure cumprir sua tarefa sem alardes e apenas faça aquilo que foi solicitado (nem mais, nem menos).
4-      Se for solicitada a sua opinião que não tenha relação com a sua atividade profissional, tenha cuidado, ninguém está (de fato) querendo saber a sua opinião. É apenas uma forma de demonstrar consideração com a classe trabalhadora.


Eu poderia aqui recomendar uma extensa série de recomendações, mas para não me tornar enfadonho prefiro resumir numa única frase: “procure não APARECER”. Hoje as pessoas se esforçam ´para aparecer o mais possível. Controle sua vaidade. Isso pode ser muito útil no futuro profissional.
Considerando essas recomendações e imaginando uma situação daquelas que a invisibilidade não é uma possibilidade, torne-se uma SAMAMBAIA !.
Você se tornará monocromático, insipido, inodoro, cego, surdo e principalmente...desmemoriado. Esta simples atitude o tornará imputável como testemunha, seja lá do que for. Poderá render reconhecimento por parte dos empregadores e poderá aumentar a vida útil do seu emprego, ou no mínimo uma ... indiferença (o que, convenhamos, em certos casos , já é uma vantagem !
Assim, podemos dizer que a indiferença que imaginamos de uma SAMAMBAIA pode na verdade ser de extrema utilidade. Imagine um ambiente onde, por anos, você se acostumou com uma SAMAMBAIA ali ... quietinha num no canto, Você nunca foi ali acariciar as suas folhas. O máximo que fez foi jogar algumas gostas de água eventualmente. Nunca fez um elogio a sua exuberância mostrando total desprezo....mas se algum dia a SAMAMBAIA for retirada do seu cantinho ... aí sim todos vão ficar inconformados : “- QUEM tirou a p... da SAMAMBAIA dali ???!!” ....ou seja, todos acabam percebendo a necessidade de ter a SAMAMBAIA ...ali quietinha...no cantinho...fazendo  parte do ambiente sem incomodar ninguém !
Bem, amigos da vagabundagem convicta, espero ter contribuído de forma prática com a divulgação desta teoria, fruto da vasta experiencia de vida adquirida por longos anos nos antigos tempos de atividades profissionais ecléticas e exóticas.


Um grande beijo no coração da humanidade
Ass:  VC

segunda-feira, 22 de abril de 2019

O VAGABUNDO CONVICTO em busca da origem 1°capitulo


Amigos da vagabundagem convicta.....meu cordial OLÁ

Por quê ?!!!.... mas por quê? ....um ser humano (SH) resolve se tornar um “VAGABUNDO” ... e ainda por cima “CONVICTO”.
Essa é a pergunta que minha querida mãe se faz todos dias ( e cá entre nós , eu mesmo me faço todos os dias quando acordo depois de uma noite de sono reconfortante).
Para responder a essa terrível questão, resolvi abrir uma “investigação” (atividade da moda). Assim sendo farei uso deste espaço literário para que os milhares de seguidores acompanhem esta SAGA no formato de “série em capítulos”, tão em moda nos dias de hoje. Afinal de contas, estou no 3° terço da vida, mas permaneço antenado!
Esta investigação foi gerada pelo encontro com um antigo companheiro de terapia em grupo: O VETERANO. Essa psicoterapia grupal me foi recomendada pelo Dr Eumi (profissional informal do ramo) que muito tem me ajudado neste momento de busca do meu EU mais profundo.
Entre um papo e outro com O VETERANO, ele sugeriu que eu fizesse uma auto regressão para encontrar a razão que me levou a tomar essa decisão radical de me tornar um VAGABUNDO CONVICTO.

A Regressão


Fiz uma preparação inicial no meu escritório natural a beira mar , tendo consciência do perigo que uma regressão tão profunda poderia causar na minha convicção atual. Poderia ser traumática para o resto da minha vida. Quando me senti forte o suficiente para suportar as surpresas que estavam por vir (açoitado pela brisa marinha e pela sinfonia das ondas) iniciei o procedimento:



Nasci em 1954 na cidade de São Paulo.
 A regressão inicia-se portanto, na data do meu nascimento. (até porque não me lembro de nada antes disto).Fiquei feliz de nascer saudável e gordinho de parto cesariano (o que me livra da culpa de ter imposto sofrimento a minha querida mãezinha).Lembro que os primeiros sons que ouvi foram de motores de aviões sobrevoando a maternidade e bombas explodindo nos entornos. Imaginei com pesar que tivesse nascido num país em guerra sob um ataque aéreo. Depois de alguns choros contidos comecei a ficar meio revoltado com aquele cara vestido de azul claro com uma máscara que me segurava pelos pés me mantendo de cabeça pra baixo e ainda me batia na bunda, em meio a uma guerra. Era muita maldade de boas-vindas ao mundo! Fiquei mais tranquilo quando constatei que era apenas um terrível mal-entendido. O barulho de aviões era em função da atividade corriqueira de uma Base Aérea da FAB já que nasci na maternidade de uma delas. Quanto as explosões de bombas, eram apenas queima de fogos de artificio em comemoração ao 4°centenário de São Paulo. Quando me recuperei do susto inicial, percebi que aquelas pessoas de azul claro mascaradas não eram agentes do mau e sim a equipe médica que acabara de executar uma operação cesariana com sucesso. Imaginei que havia nascido num país pacífico e feliz já que todos se cumprimentavam no idioma português com acento brasileiro. A partir daquele momento, eu me tornava um cidadão brasileiro ,com toda carga (boa ou má) que isso significa.

Desta primeira regressão pude tirar algumas conclusões que ora anexo a juntada do processo investigativo em andamento:

1-Nasci saudável, não ocasionando nenhum trauma natalino que possa contribuir para a futura atitude de vagabundagem.
2-As cores que prevaleceram no momento natalino foram:
 o vermelho, proveniente do sangue gerado pelo processo cirúrgico, e que rapidamente foi limpo, provavelmente para não causar influência negativa no SH que fazia sua iniciação no mundo civilizado...
e o azul, das vestimentas cirúrgicas dos profissionais envolvidos, assim como das paredes da sala de cirurgia ( cor essa comum nas instalações da FAB), que podem induzir a uma sensação de paz e tranquilidade, já que estão associadas ao céu e ao mar (ambientes agradáveis).

As cores são importantes nesta fase investigatória por exercerem uma influência preferencial nas opções futuras do SH .
3-O fato de ter nascido numa Base Militar pode ter gerado uma proximidade indesejável do autoritarismo, só atenuada pelo fato de ter sido em São Paulo , uma cidade reconhecidamente, aberta ao pluralismo cultural, culinário, artístico, racial, religioso e político (entre outros). Esta mistura de influências (militar X paulista) pode ter gerado consequências que merecem maior atenção durante o curso da investigação.
4-A data 1954. Em numerologia, os números são importantíssimos! exercendo influências permanentes nas atitudes do SH.  Se somarmos as unidades da data de nascimento 1+9+5+4= 19. Portanto decisões tomadas no ano 19 do 2° milênio DC , podem ter um importância inesperada. Sabe o que isso quer dizer? Nada, absolutamente nada! por essa razão esta conclusão não será considerada nos autos da investigação.

Bem , amigos da vagabundagem convicta...encerrada esta primeira fase da investigação, dou por concluída o primeiro momento da regressão.

Um beijo no coração da Humanidade
Ass: O VAGABUNDO CONVICTO

sábado, 20 de abril de 2019

A teoria dos Três Terços


Amigos da vagabundagem convicta...prazer!

Meu nome não é Jack , nem meu sobrenome é Flyer. Eu apenas batizei a minha consciência de Jack Flyer porque gostei da sonoridade do nome e o adotei. Não é um “FAKE” ...é apenas uma maneira de ser politicamente “incorreto” sem ser perseguido por isso.
Se você está lendo  é porque de alguma forma você se identificou (ou ficou curioso) com as palavras “vagabundo e convicto”. Isso já é um bom começo do nosso relacionamento.
A finalidade desse Blog não tem nada a ver com interesses financeiros, comerciais ou políticos. Trata-se apenas de preencher o tempo vago de vagabundo convicto (até porque a vagabundagem também pode ser tediosa)

Sou Ateu, Apolítico, Sarcástico e politicamente Incorreto, portanto, se alguma dessas características o incomoda, sugiro desconectar e continuar vivendo a sua vida com as suas convicções. Não pretendo influenciar ninguém. Escrevo só para me satisfazer e registrar alguns pensamentos que tornam o resto da minha vida...agradável sem ter que entrar em polêmicas e argumentações intermináveis. 
Estou próximo de completar 65 anos de uma vida saborosa e aventureira. Me sinto realizado profissional, financeira e emotivamente. Tenho dois filhos maravilhosos que me enchem de orgulho ,uma ex-mulher a quem dedico muito carinho, respeito e agradecimento por ter me dado aquilo que mais amo no mundo (meus filhos).Hoje vivo com uma mulher que há anos dedico aquilo que , na minha opinião , é a mola mestra da vida: o amor.


Apresentação formal feita, vamos ao que interessa: a minha filosofia de vida

“ Quem vive de passado é sala de Museu...Quem vive de futuro é Estação Espacial. Como não sou nem uma coisa , nem outra ...vivo de presente “.

Baseado nesse pensamento comecei a desenvolver algumas teorias que as me auto-aplico como cobaia humana espontânea e que aqui pretendo expor seus resultados.
A primeira Teoria em fase de teste é a dos “Três terços “

Para expor esta teoria parto de algumas premissas:

1-A vida útil de um ser humano é de 75 anos
Vida útil porque dentro da minha teoria depois dos 75 anos você pode viver até mais de 100, mas a utilidade disso é questionável.
Estamos aqui falando do ser humano médio normal, deixando de lado os excepcionais, até porque não sou um excepcional (qualquer que seja a interpretação dessa palavra).

2-O desenvolvimento físico, mental, cultural, psico e emocional são aqueles observados na humanidade há milhares de anos como constam de muitas publicações.

Dito isso vamos a teoria propriamente dita:
Teoria dos Três Terços

A vida útil de um ser humano é de 75 anos, dividida em três terços de 25 anos :

1° terço (0-25anos de idade)

Nessa fase o Ser humano não serve pra nada a não ser para encher o saco dos pais.
O ser humano (daqui pra frente tratado apenas por SH) está descobrindo o mundo e pra isso é extremamente dependente. Não tem capacidade física para produzir nada de útil que seja relevante para Humanidade (salvo raríssimas exceções ). É uma fase da vida em que os hormônios estão em revoluções permanentes o que provocam erros de avaliação , muitas vezes com consequências desastrosas. Nesta fase as influencias (boas e más) são intensas o que potencializa a revolução hormonal. É uma fase de preparação cultural que vão influenciar decisivamente a 2°fase, daí a importância de monitoramento externo (não sem uma resistência natural do SH).Sem entrar em muitos detalhes eu classificaria, de maneira genérica, como uma fase de preparação para o resto da vida do SH.

2° terço (25-50anos de idade)

Nessa fase , o SH atinge a sua plenitude física, mental e cultural. É a hora de produzir para si e para a humanidade. O SH já passou pela preparação, já passou por testes, por emoções variadas, por decepções e vitórias, por desafios e por , quase todos os tipos de experiências e adquiriu a capacidade de tomar decisões baseadas em algumas experiências vividas, por já ter ideia das suas consequências. As influencias externas já não o influenciam tanto como antes. As ferramentas culturais básicas já estão a sua disposição e chegou a hora de usar a sua capacidade física no nível mais alto para mostrar ao mundo a que veio. É a hora do SH botar a cara a tapa, de externar suas opiniões sem medo de ser feliz. É hora de extravasar sua capacidade de amar , de se impor profissionalmente , de ganhar dinheiro e se tornar independente financeiramente. Mais que tudo isso é a hora de consolidar o seu caráter e preparar , ou definir como será o seu 3° terço.

3° terço (50-75 anos de idade)

Aí é que a coisa pega !
Primeiro vem a constatação da decadência física. Com muita resistência o SH constata que já não é mais um jovem potente (em todos os sentidos). Resiste em aceitar a realidade dos fatos. A vaidade prevalece e o esforço para parecer forte, bonito e vigoroso ultrapassa (as vezes) o que é dignamente razoável flertando (por vezes) com o ridículo. Culturalmente, o SH está no TOP pela experiência adquirida, porem. entra numa fase de decadência em função da rapidez da evolução técnica e cultural da sociedade. Inconformado, resiste a maré contrária e, por vezes, consegue vencê-la. No entanto quanto mais avança a maré contrária e o tempo no 3° terço, a maré contrária tende a se tornar um tsunami e, contra isso, não há esforço que resista.
O SH neste terço ainda detém algo útil: a experiência. No entanto se pergunta até que ponto a experiência é realmente útil, já que é  uma experiência de um mundo já tecnologicamente...antigo. ultrapassado. Quanto vale essa experiência antiga? Isso dá papo pra muito chopp e batatinhas mas a verdade é que se o SH insistir nas suas teses pode ser taxado de : “retrógrado” .
Uma vez conformado(ou não) com a situação de declínio em geral devemos nos preocupar com : o tempo. Sim, o tempo, porque ele não para e cada vez está menor (a cada segundo).Em função disso devemos otimizar o tempo que nos resta (seja ele qual for). Mas , otimizar o que ? Se a força física se esvai. Se a capacidade mental se deteriora normalmente, Se a experiência cultural fica ultrapassada pela evolução natural da sociedade.
Chegou a hora da grande decisão. Para tal considere:
Sou infeliz ?
Preciso de mais dinheiro?
Dependo de outras pessoas para viver?
Outras pessoas dependem de mim pra viver?
Se as respostas a estas perguntas for “não”, chegou a hora de tomar a decisão. Seja um pouco individualista e vá viver uma vida que te dê prazer porque qualquer esforço que vc fizer agora será inócuo ! não vai adiantar nada e daqui a pouco tudo vai acabar sem que vc possa interferir nisso.
Se as respostas as perguntas acima for “SIM” ...então meu caro SH , sinto dizer mas se você continuar remando contra o tsunami , vai acabar se afogando mais cedo !

THE END

Um beijo no coração da humanidade
Ass:  O VAGABUNDO CONVICTO